Artigos » Desconstrução dos padrões negativos

Desconstrução dos padrões negativos

Autor: Henrique Pagnoncelli

Já parou para pensar que nossa vida é como uma casa? Muitas vezes sentimos necessidade de reformá-la para mantê-la bonita e renovada. Por vezes deixamos nossa ?casa? de lado e olhamos a do vizinho, percebemos como está a dele, as necessidades de reforma, o que precisa ser mudado. É muito fácil analisar o outro, mas o mais importante é entrar na nossa ?casa? e perceber o que está errado e o que deve melhorar. ?A vida é inteira, mas não temos a vida inteira para decidirmos vivê-la intensamente? (Letícia Thompson). Uma casa, se não estiver estruturada, pode se deteriorar, pois o cuidado deve ser diário. Assim, o melhor é reconstruí-la com bases mais fortes para garantir nossa segurança. O mesmo acontece com a nossa vida. Se sentimos medos, inseguranças, tristezas, temos pensamentos negativos, é sinal que algo não está bem e precisamos compreender a importância dos padrões positivos ? nosso eu interior ? para descontruir esses padrões negativos. Desconstruir significa se autoconhecer, deixar para trás os conceitos e crenças negativas que te impedem de ser feliz e seguir em frente. Nessa nova construção é preciso dar-se conta, pois a mudança passa por uma postura interna ? não é o que eu quero que muda, e sim o que faço para mudar o que eu quero. A maioria das pessoas sofre por não se conhecer. Ou seja, desconhece o enorme potencial mental que há dentro de si, onde está estruturada a nossa ?casa? interna. É o subconsciente, que move a realidade e os resultados da nossa vida. É ele que executa tudo o que acontece conosco. É uma máquina, um terreno, um robô que, depois de programado, age automaticamente a partir das informações que ele recebeu desde a gestação, na infância, na adolescência, até a vida adulta.   O subconsciente, depois de programado, não distingue o que é positivo ou negativo, ou seja, o joio do trigo. Logo, merecemos dar-nos conta e termos consciência da importância de ter pensamentos positivos para construir nossa vida e descontruir os padrões negativos.   Para Jung, a meta não é ser perfeito e, sim, ser inteiro. A inteireza, por definição, inclui um conhecimento de todos os aspectos da nossa personalidade, inclusive aquelas características que preferíamos negar. Da mesma maneira que cuidamos de uma planta, desde que é uma semente para vê-la crescer saudável e tornar-se bonita, necessitamos de alimento e cuidado não só para o desenvolvimento do corpo, mas também para a alma. Quem alimenta a alma tem forças para superar todas as dificuldades que na vida podem surgir. Começamos então a cuidar daquilo que Deus nos confiou. Se você quer que sua vida mude para melhor, a mudança precisa começar em você. Reflita: O que você tem feito para mudar? Como você está construindo a base da sua vida? Integrar o mundo interno e o mundo externo não pode ser um desafio e, sim um presente para a nossa vida!


« Voltar aos artigos