Artigos » Os Trânsitos de Netuno

Os Trânsitos de Netuno

Autor: Graziella Marraccini
Fonte: Site Somos Todos Um

Não precisamos ser vítimas do destino. É um fato. Porém, para podermos ser co-autores do nosso destino precisamos obter algumas informações, seja sobre nossas possibilidades de modificar esse destino, ou sobre as ferramentas que temos a disposição para fazê-lo. De maneira geral, nos meus artigos sempre bato nesta tecla: o conhecimento de nosso mapa astral de nascimento (Mapa Natal) nos fornece as informações sobre nosso caráter e indica, portanto, as inclinações particulares que influenciarão nossas escolhas futuras. Por outro lado, as Previsões Astrológicas, baseadas em vários métodos como Progressões, Trânsitos, Revoluções Solares etc. podem fornecer as ferramentas úteis para superar particulares momentos de nossa vida, fornecendo-nos a rota e alvo a ser alcançado. 

Vivemos em ciclos conforme nos explica a V Lei Hermètica, uma das Sete Leis da Sabedoria, que vocês podem encontrar no meu site pessoal www.astrosirius.com.br. Quando cito os ciclos, estou pensando especialmente naqueles que os "planetas da mudança" promovem em nossa vida. Em artigos anteriores, escrevi amplamente sobre os planetas exteriores, ou seja, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão e como seus ciclos influenciam nossas vidas. Eles foram chamados de Deuses da Mudança por Howard Sasportas, psicólogo e astrólogo norte-americano. Foram esses ensinamentos que serviram e ainda servem até hoje de base para minhas observações, pois me identifico muito com a abordagem baseada nos arquétipos junguianos. 

Os aquarianos que amargaram o trânsito de Netuno em seu signo nos últimos doze anos tiveram uma ampla experiência da manifestação insidiosa deste planeta transpessoal! Vários clientes e até familiares meus passaram por maus bocados, especialmente na área da saúde, quando Netuno alcançou o seu Sol natal em Aquário! Se o Sol representa o Eu (separado do outro), o trânsito de Netuno sobre o nosso Sol natal nos obriga a perder essa noção para pensarmos em "nós"! Eventos externos, alheios à nossa vontade, desencadeiam a noção de perda de identidade e não raramente isso acontece através de uma doença grave, um desmaio, uma "quase morte", uma desilusão, uma decepção ou uma perda. Atualmente, e do mesmo modo que eu, muitos piscianos, estão se perguntando: o que acontecerá quando Netuno alcançar o meu Sol natal? 

Os efeitos não serão os mesmos, fiquem tranquilos! Netuno tem domicílio em Peixes e, portanto, não haverá uma "onda de choque" pois certamente será bem mais fácil um pisciano aceitar a dissolução do Eu promovida por Netuno do que aconteceu com os orgulhosos aquarianos nos últimos doze anos ou nos rígidos capricornianos nos doze anos anteriores. Sendo esses signos de natureza diferente ao do planeta, é natural que o choque seja maior. Em muitos casos, quando Netuno transita em aspecto tenso com o nosso Sol (quadratura, conjunção ou oposição) o efeito pode ser mais psicológico que físico. Netuno solapa nossa autoconfiança, remove nossas defesas, pode nos deixar deprimidos, confusos e desatentos, e nos deixa a mercê dos outros de forma a eliminar todo nosso orgulho! O Eu não existe mais quando Netuno transita sobre o nosso Sol, e nos sentimos tão confusos que ficamos sem saber para que lado ir, para onde dirigir nossas ações, podendo perder de vista os nossos objetivos. 

Fisicamente, esse trânsito nos deixa prostrados e desanimados, mas nenhum diagnóstico nos dirá claramente o que nós temos: as doenças de Netuno são raramente diagnosticáveis. Podemos ter dificuldade de concentração, e até mesmo precisar de óculos; já não conseguimos enxergar mais tão claramente. Na neblina, caminhamos na neblina! 

Para fazer um uso concreto da experiência que vivenciamos sob esse trânsito, devemos conhecer a natureza de Netuno e reconhecer que "algo precisa morrer para ser reconstruído novamente", algo precisa ser dissolvido e reconstruído numa base menos egoísta. Assim como os seus companheiros, Urano e Plutão, Netuno também destrói, mas o faz de forma mais sutil, quase imperceptível. Nem sempre, porém, reconhecemos de pronto a sua força, a não ser quando somos literalmente engolidos por um tsunamis. O que podemos fazer? Não devemos perder a fé! 

A desesperança que acompanha os aspectos tensos de Netuno pode levar as pessoas à depressão e até ao suicídio. Se a vida desmorona diante de nossos olhos, a quem recorrer? Se perdemos o emprego, uma pessoa amada, uma situação duramente conquistada, a quem recorrer? 

Caros leitores, dentro de nós reside nossa força, onde buscaremos a fé que nos ajudará a superar esse momento. Se reconhecermos que precisamos dissolver o Eu para nos unir ao Todo, então, renasceremos com uma sensação de plenitude interior que nos tornará invencíveis! Somente desta forma, estaremos realmente incorporando a experiência desejada por Netuno e retornemos ao estado de graça onde estávamos antes de encarnar. Unindo-nos ao Todo nos uniremos aos outros, sentiremos a dor alheia e poderemos nos envolver em voluntariado ou em outras tarefas destinadas às pessoas menos afortunadas do que nós. Quem passar por esse trânsito e ressurgir com esse sentimento, certamente terá feito um grande salto na direção de sua evolução espiritual. 

E não é de solidariedade que precisa nosso mundo? Então, vamos praticar? Bem-vindo Netuno! 


« Voltar aos artigos